Carnaval deixa saudade e quase 200 casos de conjuntivite em Salvador

A folia de carnaval deixou saudade para parte dos soteropolitanos, mas outra coisa que a festa deixou foi a conjuntivite. Depois da alegria atrás do trio elétrico, tem muita gente indo atrás do tratamento para a doença, segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

Durante o período da folia, de acordo com a SMS, os módulos de assistência registraram 191 casos de conjuntivite, nos circuitos oficias. Número superior ao ano passado, quando apenas 17 foliões apresentaram quadro clínico compatível.

“É importante que as pessoas com sintomas da doenças procurem atendimento especializado para diagnóstico correto, já que a conjuntivite pode ser do tipo viral, bacteriana ou alérgica. A Secretaria Municipal de Saúde está realizando buscas ativas nas unidades fixas, a fim de monitorar os casos, orientando devidamente os pacientes diagnosticados”, diz, em nota.

De acordo com a oftalmologista da rede municipal de saúde, Edriene Teixeira, as altas temperaturas do verão levam às pessoas a passarem mais as mãos no rosto. Contudo, a ação deve ser feita após assepsia, para evitar levar sujeiras que podem ocasionar irritação ocular.

Outro fator que pode acarretar no desenvolvimento da conjuntivite é o uso incorreto de maquiagens e pequenos objetos, como glitter e purpurina. Nos festejos deste ano, houve bastante utilização dos produtos. “Quando há ocorrência de corpo estranho nos olhos, as reações mais comuns são vermelhidão, ardor e desconforto, que se não forem cuidados devidamente, provocará o agravamento da doença”, aponta Edriene Teixeira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *