Cresce desemprego em L.de Freitas, bem como em toda Região Metropolitana de Salvador

O crescimento taxa de desemprego total da Região Metropolitana de Salvador (RMS) para 21,3% da População Economicamente Ativa (PEA) contra 20,2% registrado no mês anterior e aumento do contingente de desempregados para 395 mil pessoas, 18 mil a mais do que no mês anterior foram alguns dos resultados da Pesquisa de Emprego e Desemprego na Região Metropolitana de Salvador (PEDRMS).

O levantamento é realizado em regiões metropolitanas do país, em parceria com Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre) e Seade.

Ainda segundo a pesquisa, realizada na RMS pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), a taxa de desemprego aberto aumentou de 14,2% para 15,2%, e a de desemprego oculto oscilou de 6,0% para 6,1% O resultado foi provocado pelas reduções no nível de ocupação (32 mil postos de trabalho) e PEA (14 mil postos de trabalho).

Em março, o contingente de ocupados teve redução de 2,1%, ficando estimado em 1.457 mil pessoas. Entre os setores de atividade econômica analisados, houve decréscimo no setor de serviços (26 mil ou 2,7%), na construção (5 mil ou 3,9%) e na indústria de transformação (4 mil ou 3,5%). O comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas ficou relativamente estável (0,4%).

Pessimismo

Segundo Luiz Chateaubriand, analista da PEDRMS pela SEI, o aumento das taxas de desemprego tem um efeito sazonal no 1 º semestre, mas este ano vem sendo agravado pela grave crise econômica brasileira. Ele acrescenta que o mercado de trabalho reage de forma mais expressiva neste quadro de redução da atividade econômica e a previsão dos especialistas em economia é que 2016 se manterá com maus resultados também no 2º semestre.

Ele explicou ainda que o setor de serviços, que inclui áreas diversas como alimentação, saúde, hotelaria e turismo, e telecomunicações, entre outras, registrou os piores resultados por registrar os maiores aumentos de preços, reduzindo drasticamente a demanda.

O analista destacou ainda que o contingente de trabalhadores assalariados reduziu (30 mil ou 2,9%), em decorrência do declínio da ocupação no setor privado (7 mil ou 0,8%) e no setor público (22 mil postos ou 15,0%). No setor privado, registrou-se relativa estabilidade entre os trabalhadores com carteira assinada (-2 mil ou -0,3%) e redução entre aqueles sem carteira assinada (5 mil ou 5,1%).

A PEDRMS é realizada em 10 municípios da RMS: Lauro de Freitas, Camaçari, Candeias, Dias D’Ávila, Itaparica,  Madre de Deus, Salvador, São Francisco do Conde, Simões Filho e Vera Cruz.

 

Fonte: A Tarde

Foto: Reprodução / Lauro em Foco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *