Eleições, Lauro de Freitas, 2016. Dessa vez será preciso inteligência.

Esse é um ano de muita discussão no cenário eleitoral de Lauro de Freitas, discussão que, se feita com inteligência, sem paixão e sem interesses pessoais, representará a chance da população dar um grande passo rumo à construção de uma cidade de porte e nível, que hoje não temos.

A nova Legislação dará um novo desenho ao pleito eleitoral: não veremos mais placas nas ruas, não teremos mais 90 dias de campanhas, nem sofreremos tanto tempo com carros de som nas ruas, martelando jingles e paródias eleitoreiras cansativas, serão apenas 45 dias…

Outra nova caraterística que veremos, é que as campanhas serão mais modestas, sem aqueles espetáculos vultosos de dinheiro investido em marketing eleitoral. Quem tiver uma campanha notoriamente muito cara vai ter que explicar de onde veio o dinheiro. Começaremos a sentir o legado das últimas investigações policiais anticorrupção.

Tardiamente, os políticos de Lauro de Freitas, ainda estão procurando o melhor caminho para desenvolver um projeto eleitoral diferente e que traga um resultado eficiente. Isso é uma mostra da falta de uma equipe de comunicação (profissional e eficaz) ao lado de cada um dos quadros.

Um exemplo de tudo isso é o nosso prefeito que, há quem diga, gasta bastante dinheiro com blogs que escrevem errado, fofocam e caluniam loucamente, sem nenhum senso ético, profissional e cultural. Mas ele não é o único que parece investir dinheiro e equipamentos de ponta em pessoas sem preparo jornalístico, sem responsabilidade no trato com a informação e sem noção do que é ter a chance de contribuir com o crescimento de uma sociedade, estando à frente de um veículo de comunicação.

Digo isso por que já vi como um Duda Mendonca e um Nizan Guanaes (mestres do marketing político e da publicidade no Brasil) se organizam. E muitas, mas muitas das estratégias adotadas por eles, não precisaram de tanto dinheiro para executá-las e já seriam o suficiente para um posicionamento na cidade, de forma implacável e bem sucedida. Mas ainda não vejo nenhum dos quadros que temos aqui, perto de organizar uma estrutura parecida.

Então, temos uma corrida maluca na direção de posicionar suas opiniões em suas próprias redes sociais e blogs. Passo cego, pois terminam por comunicar apenas para as bases que já os seguem e as iniciativas e pensamentos não reverberam.

Não me parece restar dúvidas de que será preciso um movimento profissional o quanto antes, será preciso livrar-se do amadorismo e da falta de preparo, para se comunicar e propor um diálogo à sociedade, se quiserem colocar seu nome, seu projeto e sua marca à disposição da população, dessa vez será preciso inteligência.

Marcelo Vasconcelos – Diretor Geral LFTV

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *