Moro condena empresário por pagar propina a ex-diretor da Petrobras

O juiz Sérgio Moro condenou hoje o empresário Mariano Marcondes Ferraz a dez anos e quatro meses de prisão por corrupção ativa e lavagem de dinheiro. O executivo da Decal do Brasil foi acusado pela força-tarefa da Operação Lava Jato de pagar propina de 868 mil dólares ao ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa – delator da investigação.

O magistrado decretou “a interdição de Mariano Marcondes Ferraz para o exercício de cargo ou função pública ou de diretor, membro de conselho ou de gerência das pessoas jurídicas”. Na sentença, o juiz da Lava Jato manteve “as cautelares substitutivas, sem a necessidade de imposição da prisão na fase de eventual apelação”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *