MP Eleitoral vai investigar possíveis candidaturas “fantasmas” de mulheres

O Ministério Público Eleitoral (MPE) deve investigar possíveis candidatas “fantasmas” de mulheres para a Assembléia Legislativa e Câmara dos Deputados nas eleições do último domingo (7). É provável que alguns partidos ou coligações registraram candidatas apenas para cumprir cota de 30% de mulheres nas chapas proporcionais.

Na briga pelo Legislativo estadual e federal, as dez candidaturas com menor número de votos são mulheres. Com três votos cada, as candidatas para deputada estadual e federal, tiveram o menor número de apoio. Além disso, não foram registrados gastos de campanhas.

Cláudio Gusmão, chefe do MPE, está à espera dos dados do Tribunal Regional Eleitoral para começar a pesquisar. Ele informou que três indícios indicam as candidaturas fantasmas: votação zerada ou próxima de zero; nenhum gasto de campanha; e sem aparição na propaganda de TV e rádio. “A partir daí, vamos, por amostragem, escolher duas ou três mulheres e pedir para que elas venham à Procuradoria”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *