Rodoviários votarão proposta de 2,7% nesta madrugada

A negociação entre os rodoviários e os donos das empresas de transporte de Salvador e região metropolitana avançou, uma nova assembleia foi marcada para as 4h desta quinta-feira (24). Na reunião, os trabalhadores votarão a proposta de aumento de 2,7% no salário e no tíquete alimentação.

De acordo com informações do Sindicato dos Rodoviários Metropolitanos (SINDMETRO), os rodoviários estarão nas portas das garagens para votar a contraproposta. Caso a porcentagem seja aceita, os ônibus voltarão a circular normalmente em Lauro de Freitas a partir das 5h. A proposta é vista como “razoável” pela classe, já que está acima da inflação dos últimos 12 meses (1,98%), e os trabalhadores querem evitar uma decisão judicial desfavorável à categoria.

A proposta também dá direito ao financiamento da renovação da carteira nacional de habilitação (CNH) dos trabalhadores pelas empresas. Na proposta, os rodoviários terão direito a parcelar o pagamento da habilitação. Os rodoviários metropolitanos seguem em negociações distintas dos trabalhadores do transporte rodoviário de Salvador, mas segundo o SINDMETRO, estão unidos para tomada de decisões.

Na tarde desta quarta-feira (23), houve uma audiência de conciliação entre as duas partes, na sede do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), no bairro de Nazaré, em Salvador. Durante a sessão, a Justiça propôs um reajuste de 2,2% no salário da categoria, que foi recusado pelas duas partes. Os donos das empresas de transporte de Salvador e Região Metropolitana alegam que perderam capital com o funcionamento do metrô, e passaram a receber apenas R$ 1,49 com a integração entre os dois veículos.

Manifestação metropolitana

A categoria decidiu entrar em greve após as tentativas de aumento sem sucesso, durante a campanha salarial, que dura desde abril. Com a mediação da Superintendência Regional do Trabalho (SRT) e Ministério Público do Trabalho (MPT), na tentativa de acordo, os rodoviários baixaram o valor pedido para 5% e depois para 3%, mas não houve aceite nem contraproposta por parte dos empresários. Apenas as reivindicações dos rodoviários intermunicipais foram aceitas.

Nesta quarta (22), as ruas de Lauro de Freitas amanheceram sem ônibus, mesmo com a lei que determina que 30% da frota deve circular nas ruas. Segundo Valter Ferreira, presidente do SINDMETRO, a categoria só colocará parte da frota nas ruas com determinação da AGERBA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *