Presidente da Câmara de Camaçari é suspeito de superfaturar contrato

O vereador Manoel Jorge de Almeida Curvelo, que preside a Câmara de Camaçari, foi denunciado em uma ação civil pública ao Ministério público, ontem (4). A liminar de autoria do promotor de Justiça Everardo Yunes, demanda que a Câmara de Vereadores suspenda o contrato firmado este ano junto a em presa Larclean Saúde Ambiental Ltda.

O promotor notou irregularidade no contrato e aponta que a indícios de superfaturamento, que podem ser considerados como ato de improbidade administrativa cometidos por Manoel e pela empresa. O contrato entre município e empresa que se encerra em 31 de dezembro de 2019, tem valor total de aproximadamente R$ 140 mil para os serviços de desinsetização, desratização, descupinização e “afins”, que devem ser realizados dentro e fora da Câmara.

O Ministério Público informou que estranhou o valor, que é quase 80 vezes maior que o total gasto em 2018 para o serviço (R$ 1,8 mil), que foi pouco maior do que o gasto em 2017 (R$ 1 mil).

Yunes ainda revela que o contrato não demonstra valores unitários, específicos por metro quadrado, que são gastos para cada tipo de serviços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook
YouTube
Instagram