Policiais Militares denunciam falta d’água e de EPI para trabalhar no CAB

Policiais militares estão há cerca de 15 dias sem água na guarita que dá acesso ao Comando do Policiamento Regional da Capital (CPRC) – um complexo onde trabalham cerca de 500 policiais no Centro Administrativo do Estado da Bahia (CAB).

Conforme recomendação da Organização Mundial de Saúde, a prevenção contra o Coronavírus ocorre principalmente na higienização das mãos com agua e sabão e álcool em gel. Alguns policiais ainda alegam que estão recebendo álcool em gel vencido.

A denúncia foi feita por vídeo e a gravação de 57 segundos, foi realizada esta semana, mostrando as condições precárias da guarita que fica na porta de entrada do complexo, onde estão o Departamento de Apoio Logístico (DAL) , o Departamento de Finanças (DF) e a sede da 82° Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM/CAB). 

No vídeo fica claramente exposta a falta de condição de trabalho com fiação elétrica exposta e, ainda, no banheiro da guarita, o autor do vídeo manuseia a torneira e tenta usar a descarga de um dos vasos sanitários, constatando que não há fornecimento de água

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook
YouTube
Instagram