População de Lauro de Freitas que tem direito a auxílio emergencial está sendo orientada pela Prefeitura no CEEPTIC

Desde o início da pandemia do coronavírus, que provocou a suspensão de parte das atividades comerciais em todo o país, o cabeleireiro Airton Santos, de 53 anos, está preocupado com o sustento da família. Ele é um dos moradores de Lauro de Freitas que foram ao Centro Estadual de Educação Profissional em Tecnologia, Informação e Comunicação (CEEPTIC), no Centro da cidade, na manhã desta segunda-feira (13), em busca de orientação para o preenchimento do formulário no site da Caixa Econômica Federal (CEF), primeiro passo para recebimento do auxílio emergencial disponibilizado pelo governo federal.

Com dificuldades para realizar o cadastro pelo aplicativo da CEF, Airton, que é cabeleireiro há 34 anos, conseguiu preencher o formulário com o auxílio que recebeu da equipe da Prefeitura, e falou sobre as dificuldades que têm passado. “Se eu trabalhar eu tenho dinheiro, se não trabalhar, não tenho. Aí a gente fica no fundo do poço. Com esse dinheiro pelo menos o pão não vai faltar para meus dois filhos e minha esposa, que não tem renda fixa. Estou em casa como nunca fiquei em toda a minha vida, nunca tirei 15 dias de férias. Fiz o cadastro, agora é esperar o dia de pegar dinheiro.”

O ponto de apoio montado pela Prefeitura de Lauro de Freitas no CEEPTIC começou a funcionar na última quarta-feira (8). No local foi disponibilizado um espaço para triagem de quem procura a orientação, além do laboratório de informática com computadores para preenchimento do cadastro. O público está sendo atendido por servidores das secretarias municipais de Governo (SEGOV), do Trabalho (SETREL), de Desenvolvimento Social (SEMDESC), e de Desenvolvimento Econômico (SEDICS).

Ana da Paixão, moradora do Centro, também buscou ajuda. “Tentei fazer o preenchimento pelo aplicativo em casa mesmo, mas toda hora dava uma mensagem de erro, e o código nunca chegava, aí vim aqui buscar ajuda. Eu trabalhava em uma loja de roupas no Centro da cidade, que não está funcionando por causa dessa pandemia, aí acabei sendo demitida. Esse auxílio não é a mesma coisa do salário, mas vai ajudar.” Ana estava acompanhada do irmão, de 24 anos, que também foi demitido da loja em que trabalhava em um shopping, e agora está em busca do auxílio emergencial.

O auxílio é destinado a trabalhadores informais, microempreendedores individuais, autônomos e desempregados. Não têm direito ao benefício menores de 18 anos, aposentados, além das pessoas que já recebam benefício previdenciário, seguro-desemprego, ou faça parte de outro programa de transferência de renda federal, com exceção dos beneficiários do Programa Bolsa Família, que poderão optar pelo auxílio emergencial, caso o mesmo seja mais vantajoso financeiramente.

Só tem direito ao benefício aqueles com renda familiar mensal, por pessoa, de até meio salário mínimo, ou renda familiar total de até três salários mínimos. Para as famílias que se enquadrem nestes perfis, e em que a mulher seja a única responsável pelas despesas da casa, o valor pago mensalmente será de R$1.200,00. Outras condições para o recebimento do auxílio podem ser consultadas no link https://auxilio.caixa.gov.br/#/inicio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook
Facebook
YouTube
Instagram