Bahia: NEOJIBA reforça medidas de inclusão digital com doação de 83 tablets para integrantes

O NEOJIBA, programa da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social da Bahia (SJDHDS), entregou agora, no início de março, 83 tablets para integrantes que não tinham acesso a dispositivos eletrônicos. Eles poderão acompanhar com mais qualidade e conforto as atividades online do programa, mantendo a rotina de estudos em casa.


“A pandemia nos trouxe uma série de desafios e manter os meninos nas aulas, ensaios e atividades do Neojiba é um deles. Por isso, disponibilizamos os  equipamentos. O nosso esforço é para promover a inclusão digital e continuar desenvolvendo esse trabalho de desenvolvimento social. Por meio do Neojiba, crianças e jovens em vulnerabilidade social encontram oportunidade, descobrem um novo  mundo. Esse é um Programa que orgulha o Governo do Estado e toda a Bahia”, comentou o secretário Carlos Martins, titular da SJDHDS.


Dos 83 tablets, 43 foram adquiridos com recursos do governo do Estado pelo Instituto de Desenvolvimento Social pela Música (IDSM), organização social responsável pela gestão do NEOJIBA, e cedidos para os integrantes de núcleos de Salvador. Os demais foram patrocinados pela Solar Coca-Cola e doados aos integrantes dos núcleos no interior do Estado (Feira de Santana, Vitória da Conquista, Teixeira de Freitas, Simões Filho e Jequié) e de Salvador (Núcleo Central NEOJIBA, na Liberdade, e o Núcleo de Prática Musical em Pirajá).


Meire Freitas, mãe de Maria Clara e Maria Cecília, que integram o Núcleo de Prática Musical do Nordeste de Amaralina, conta que as meninas ficaram na maior expectativa quando souberam que iriam receber os tablets. “Elas ficaram muito felizes com a notícia, contando os minutos e os segundos. Quando chegou o grande momento, foi uma euforia, um sonho realizado.Agora elas vão poder participar melhor das aulas, ter mais autonomia. Antes, elas usavam o meu celular ou o do pai, mas nem sempre era possível. Quero agradecer ao NEOJIBA por essa oportunidade”.


Evelyn Nascimento, do Núcleo Cidade Sol, em Jequié, também dependia do celular da mãe, que nem sempre estava em casa, para acompanhar as atividades do programa. “O tablet vai ser muito importante, pois com ele tenho a certeza de que vou assistir às aulas e fazer os vídeos todos certinhos, sem ficar com medo de a chamada cair, ou do microfone falhar. Tenho certeza de que vai dar tudo certo”.


O NEOJIBA está adotando estratégias para promover a inclusão digital desde março do ano passado, quando as atividades presenciais foram suspensas em cumprimento às determinações de distanciamento social. Em 2020, foram disponibilizados 40 celulares e tablets, doados pela família do professor Manoel de Barros Sobrinho, presidente do Conselho do IDSM. Mais de 200 integrantes também contaram com auxílio para compra de pacotes de internet, numa ação patrocinada pela PetroRio. Já os vizinhos dos núcleos puderam acessar gratuitamente as redes wi-fi do NEOJIBA, que foram compartilhadas.


Este ano, as atividades online foram retomadas no início de fevereiro (8/2) para os 1970 crianças, adolescentes e jovens atendidos diretamente pelo programa. Em 2020, foram realizadas mais de 17 mil horas de aulas e mais de 70 encontros, aulas e masterclasses com artistas renomados, do Brasil e do exterior. O programa também ofereceu quase 7 mil atividades de orientações e atendimentos psicossociais e promoveu 61 apresentações musicais, transmitidas pelas redes sociais do NEOJIBA.


Sobre o NEOJIBA


Criado em 2007, o NEOJIBA (Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia) promove o desenvolvimento e integração social prioritariamente de crianças, adolescentes e jovens em situações de vulnerabilidade, por meio do ensino e da prática musical coletivos. O programa é mantido pelo Governo do Estado da Bahia, vinculado à Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social, e gerido pelo Instituto de Desenvolvimento Social Pela Música. Em 13 anos, o NEOJIBA atendeu, direta e indiretamente, mais de 10 mil crianças, adolescentes e jovens entre 6 e 29 anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook
YouTube
Instagram