Salvador: Visitas técnicas integram mobilização pela preservação das lagoas do Flamengo

Governo do Estado e Município de Salvador foram acionados pela ACEB a partir de pedido da comunidade 

Desde que a revitalização das lagoas do Flamengo entrou na lista de prioridades da Associação Classista de Educação e Esporte da Bahia (ACEB), representantes de diversos órgãos públicos têm visitado o trecho que se estende do loteamento Marisol até a primeira ponte em Stella Maris. Os objetivos das visitas são levantar as necessidades urbanísticas e ambientais específicas da região e avaliar o que precisa ser feito para garantir a preservação daquele ecossistema. Assim que recebeu o “pedido de socorro” de moradores da região, há cerca de um mês, a ACEB começou a pleitear soluções junto à Prefeitura de Salvador e ao Governo do Estado. A mobilização está começando a surtir o efeito desejado. 

Na quinta-feira (15), um técnico da Secretaria do Meio Ambiente do Estado da Bahia (SEMA) e o Ouvidor-Geral da Câmara de Vereadores de Salvador, Augusto Vasconcelos, estiveram no local. Já na manhã da sexta-feira (16), quem visitou a área, também acompanhado do vereador e do chefe de gabinete da deputada estadual Fabíola Mansur, Alberto Queiroz, foram alguns engenheiros e técnicos da Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder), os quais ficaram de elaborar um projeto. 

Segundo a coordenadora de empreendedorismo e ação social da ACEB, Anne Cristina Nogueira, que tem acompanhado todas essas visitas de perto, o maior fruto da mobilização da entidade para preservação das lagoas do Flamengo até o momento foi a indicação parlamentar de autoria da deputada estadual Fabíola Mansur, solicitando intervenções do Governo do Estado da Bahia no monitoramento da qualidade da água, plantação de árvores nas margens da lagoa, promoção de ações de fiscalização e educação ambiental, bem como um levantamento geral dos condomínios que captam água da lagoa e promovem descargas de esgoto no local. Os pleitos estão sendo avaliados pelos órgãos competentes, a princípio através das visitas técnicas ao local. 

Além disso, por meio da ouvidoria-geral da câmara de vereadores, a comunidade começou a vislumbrar melhorias da área do entorno da lagoa do ponto de vista urbanístico. “A ouvidoria da Câmara já recebeu mais de 200 solicitações de moradores este ano, sendo muitas delas de pessoas que moram em Praia do Flamengo, Stella Maris e adjacências. A partir disso, agendamos e participamos de reuniões com o secretário Fábio Motta (Secult) e com vários grupos de moradores para tratar sobre a obra de revitalização que está sendo realizada pela prefeitura no local, participamos de visitas técnicas e encaminhamos todas as demandas que chegaram à ouvidoria para os poderes públicos, conseguindo efetivar algumas melhorias, como limpeza de ruas, poda de árvores e melhoria da iluminação. Seguimos trabalhando intensamente nesse processo para viabilizar as melhorias que vão garantir qualidade de vida para quem mora naquela região de Salvador”, declarou o vereador e ouvidor Augusto Vasconcelos.

Retrospectiva – Em meados de março, após fortes chuvas registradas em Salvador, o esgoto de uma das estações elevatórias de Praia do Flamengo, situada no final da Avenida Mar Deo Plata (em frente à Barraca do Loro), transbordou mais uma vez, comprometendo não só a qualidade da água em uma das lagoas da região, mas também da praia de Stella Maris, onde moradores encontraram peixes, crustáceos e outros animais mortos. 

Diante dos prejuízos ao meio ambiente, grupos de moradores da região procuraram a ACEB para pedir socorro. Desde então,  a resposta da entidade tem sido chamar a atenção do poder público para o problema.  De lá para cá, algumas reuniões virtuais foram realizadas entre a comunidade e representantes da Prefeitura de Salvador e do Governo do Estado. 

Segundo moradores, a requalificação da orla de Stella e região é uma reivindicação antiga dos moradores. “A obra está finalmente acontecendo, mas o que a comunidade espera é ser ouvida, para que as demandas específicas daquela região da cidade sejam consideradas pelo poder público e o meio ambiente seja preservado. Vamos continuar acompanhando de perto todo o processo até o seu desfecho exitoso”, concluiu Anne Cristina Nogueira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook
YouTube
Instagram