Carro: Toyota Prius sai de linha no Brasil

Após ter apenas 3 unidades emplacadas em 2021, híbrido se aposenta ofuscado pelos “irmãos” nacionais da linha Corolla

Após ter apenas 3 unidades emplacadas em 2021, o Toyota Prius sai de linha no Brasil e já não consta mais no site oficial da marca. A aposentadoria do modelo era questão de tempo, já que o fato de ser importado do Japão deixava-o pouco competitivo em relação às versões híbridas de Corolla e Corolla Cross, ambos fabricados no Brasil.

Se antes da pandemia de Covid-19 o Prius era vendido a R$ 128.530, o híbrido saiu de linha em agosto de 2021 custando R$ 190.590 – um reajuste de mais de R$ 60 mil em pouco mais de um ano. Para efeito de comparação, o Corolla híbrido passou de R$ 124.990 no início de 2020 para os atuais R$ 158.290, um aumento de pouco mais de R$ 33 mil.

A quarta e atual geração do Prius estreou no Brasil em 2016, em versão única (chamada apenas de “Top”), então tabelada a R$ 119.950. A reestilização surgiu em 2019 (veja aqui nossa avaliação), pouco antes do lançamento do novo Corolla. Feito na plataforma TNGA, a mesma de Corolla e Corolla Cross, o modelo serviu como base para o desenvolvimento da motorização híbrida flex dos nacionais. Apesar disso, a opção de abastecimento com etanol nunca foi adotada comercialmente pelo Prius.

A mecânica era formada por um motor 1.8 somente a gasolina, de ciclo Atkinson, com 98 cv e 14,4 kgfm, e outro motor elétrico, de 72 cv e 16,6 kgfm – a potência combinada do conjunto era de 122 cv. O câmbio era automático do tipo continuamente variável (CVT), sem simulação de marchas.

Consumo campeão

O motor somente a gasolina e a melhor aerodinâmica (com coeficiente de arrasto de bons 0,24) deixavam o Prius em vantagem em relação ao Corolla híbrido flex quando o assunto era consumo. No padrão do Inmetro, o Prius a gasolina conseguia médias de 18,9 km/l na cidade e de 17 km/l, na estrada. Com o Corolla híbrido flex, as marcas são de 16,3 km/l e 14,5 km/l, na ordem, com o combustível de origem fóssil. Ainda assim, houve registro de ao menos um proprietário de Prius no Brasil que apostou na conversão para GNV a fim de diminuir o custo por quilômetro rodado.

Sem opcionais, o Prius trazia de série itens como ar-condicionado digital de duas zonas, bancos dianteiros com aquecimento, banco do motorista com ajustes elétricos, faróis em LED, carregador de celular por indução, projeção de informações no para-brisa, botão de partida, sete airbags e controles de estabilidade e tração. Curiosamente, o Prius era um dos últimos carros vendidos no Brasil a possui leitor de CDs integrado à central multimídia.

A despedida do modelo pode ser justificada pelo preço e o consequente baixo desempenho em vendas na comparação com os irmãos híbridos nacionais. Enquanto Corolla e Corolla Cross emplacaram mais de 39 mil unidades até julho de 2021 (na soma de todas as versões, incluindo as com motor 2.0), o Toyota Prius teve apenas 3 unidades vendidas em 2021, segundo dados da Fenabrave. A aposentadoria do Prius é a terceira da Toyota no Brasil este ano, já que Etios e Etios Sedã também foram descontinuados.

Em nota à Redação, a Toyota do Brasil confirmou o fim dos estoques do Prius (e também do Camry). “Por questões estratégicas comerciais, as importações dos modelos Camry e Prius foram suspensas temporariamente no País. Estamos avaliando a retomada da oferta destes produtos para o início do ano que vem, já com as novidades das versões ano/modelo 2022”.

Fotos: Renan Senra/Revista Carro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook
Facebook
YouTube
Instagram