Bahia: Arte e Saúde – MAM e Hospital Espanhol

“Arte é saúde!” Esta foi a definição de Fabiana Daltro – Gerente Administrativa e Financeira do Hospital Espanhol, na tarde do último dia 17, no pátio externo do MAM (Museu de Arte Moderna da Bahia), sobre o momento especial que as áreas de arte e de saúde viviam de forma interativa e merecida, naquele instante.

Durante o ano e meio que as portas dos museus baianos permaneceram fechadas, seguindo as medidas preventivas da pandemia, os profissionais de saúde permaneceram isolados e atolados de trabalho, nas unidades hospitalares, tentando salvar vidas. Museus fechados e desertos, hospitais abertos e lotados: todos juntos, cada qual com as suas ferramentas, lutando contra o mal do século, chamado Coronavírus.

No dia 17 de agosto, os museus públicos baianos voltaram a funcionar com visitas presenciais, cumprindo rigorosamente os protocolos de controle da contaminação.

O MAM arrumou a casa e instalou a belíssima exposição “O Museu de Dona Lina” para voltar a receber o público. Mas fez questão de que a sua primeira visitação aberta, neste retomada dos serviços, no primeiro dia da exposição, fosse para um público que merece todo o reconhecimento pelo seu trabalho na pandemia: os profissionais do Hospital Espanhol – maior Centro de Tratamento Covid-19 na Bahia.

E assim foi! Num clima de leveza, beleza, descontração, gratidão, integração e orgulho. No primeiro dia da visita, 21 colaboradores prestigiaram o evento e a homenagem. No dia seguinte (18), outro grupo do HE foi passar a tarde no MAM.

“A gente quer agradecer a vocês, em nome de muita gente! Porque o desejo de prestar esta justa homenagem partiu de todos os envolvidos na abertura do Museu. E esta abertura é também um ato de saúde da cidade. Sejam bem-vindos ao Museu de Dona Lina! Respirem ar puro, respirem cultura, longe do estresse do hospital…” – assim, o Diretor Geral do MAM, Pola Ribeiro, recebeu o grupo de heróis da saúde do HE, na sua chegada ao Solar do Unhão, na Av Contorno, onde fica o MAM. Após a sua fala de boas-vindas, o Diretor pediu à equipe do Museu uma salva de palmas para os profissionais da saúde.

O curador foi o guia

A visita guiada exclusiva para o grupo do HE foi realizada pelo próprio curador do MAM e responsável pela exposição, Daniel Rangel. “Este é um momento muito especial, porque voltamos a cumprir a nossa missão de receber o público, oferecendo arte. E esta exposição é fruto de muitas oficinas internas, onde mergulhamos na história do Museu, desde a origem desta estrutura física. E ninguém mais especial para ser tema da exposição de reabertura do que a icônica arquiteta ítalo-brasileira, Lina Bo Bardi. Ela foi a primeira Diretora daqui do MAM, no período de 1959 a 1963, e responsável pela sua concepção. Depois de ter fundado o MASP (Museu de Arte de São Paulo). Ou seja, uma referência do Modernismo Brasileiro!”

A Secretária de Cultura do Estado da Bahia, Arany Santana, também esteve presente no primeiro dia de visita e recepcionou o primeiro grupo do HE, no MAM: “Com muita coragem e comprometimento, vocês lutaram e ainda lutam por todos nós. Muito obrigada!”

Milena Passos é enfermeira, Coordenadora da UTI 8 do HE e destacou a importância da troca social e cultural entre os colegas, fora do ambiente hospitalar: “Um momento como este aqui, é uma forma de cuidar da nossa saúde mental. É uma oportunidade de interagirmos, enquanto equipe, de uma maneira diferente. Olharmos o outro sem as barreiras dos EPIs. Está sendo muito gostoso!”

Estar em trajes à paisana, sem uso de EPIs pesados, interagir socialmente, poder relaxar num local de natureza geográfica privilegiada – ponto turístico da cidade e ainda beber cultura brasileira foram ingredientes que fizeram o momento de gratidão e reconhecimento especial para mais uma página da história do HE – o maior Centro de Tratamento Covid na Bahia, na Pandemia 2020, 2021…

E para quem não conseguiu visitar “O Museu de Dona Lina” se inscrevendo nos grupos fechados com antecedência pelo HE e abertos de alegria, na convivência social e cultural, pode ir de forma independente. A Exposição fica em cartaz até dezembro/21, sempre de 3ª a 6ª feira, das 13 às 17h. Duas dicas: uma hora é o tempo ideal para esta visita, degustando arte, e o pôr do sol no MAM, ainda é mais lindo do que no Hospital Espanhol!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook
Facebook
YouTube
Instagram