“Fazer o que Janot deixou de fazer” disse procurador que tentou matar juíza

Uma tentativa de homicídio chocou o país. O fato aconteceu nesta quinta-feira, na sede do Tribunal Regional Federal da 3ª Região, na avenida Paulista.

O procurador da Fazenda Nacional Matheus Carneiro Assunção invadiu o gabinete da juíza Louise Filgueiras, convocada para substituir o desembargador Paulo Fontes, em férias, e chegou a acertar uma facada no pescoço dela, mas o ferimento foi leve.

Diante do insucesso, ele ainda tentou jogar uma jarra de vidro na direção da magistrada, mas errou. O barulho da jarra quebrando foi o que chamou a atenção dos assessores. E o procurador foi imobilizado pelas pessoas que estavam dentro do gabinete durante a ação.

Assunção foi preso em flagrante e levado pela Polícia Federal da sede do tribunal, na região central de São Paulo. Ele ainda não tem advogado constituído.

Ao ser imobilizado, o procurador se mostrou confuso. Segundo os seguranças que o detiveram, Assunção afirmou que deveria ter entrado armado no tribunal, “para fazer o que Janot deixou de fazer”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook
YouTube
Instagram